Pesquisar este blog

Carregando...

6 de agosto de 2014

poema telúrico


.

Na terra grave
Querubins são grilos
noite adentro

Tal qual cordas de instrumento
tremolentopordentro acelero-por-fora
tremoluzente calma em alta-frequência
Segue-se o improviso
afinadoamadoristicamente

(nayre)

25 de julho de 2014

Minha Alma Canta

Se querem saber o que penso

... sobre esses pseudo-manifestantes  que há por aí; leiam o que Rafael Patto escreveu nessas linhas que se seguem, porque o que ele claramente diz aqui, 

eu, Nayre Fernandes Martins, assino embaixo.



Eu odeio repressão policial. Odeio! Sinto verdadeira repugnância quando vejo abuso de força. Mas, sinceramente, ver esses "ativistas" de meia pataca falar em ditadura e se autodenominarem "presos políticos" me embrulha o estômago.

Ditadura por que? Foram torturados? Tomaram choques? Conheceram a cadeira do dragão? Foram pendurados no pau de arara? Então, me poupem! Não sejam levianos! Pra mim, a Constituição Federal de 1988 é muito clara:
“todos podem reunir-se PACIFICAMENTE, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente"
PACIFICAMENTE. Ponto final.
Se fosse nos Estados Unidos, aquela "democracia deslumbrante", esses ativistas estariam no calabouço. Queria ver grupos de "ativistas" programando atos de vandalismo para tentar inviabilizar a realização de um evento como a Copa do Mundo lá nos EUA. Um pseudo-atentado em Boston, durante uma maratona, foi suficiente para que a polícia de lá matasse um rapaz de 26 anos, SUSPEITO...
Essa conversa fiada de "ativistas" já encheu o saco. Esses arruaceiros, baderneiros, vândalos, que não têm nenhuma pauta clara de reivindicações já conseguiram habeas corpus. Coitadinhos, eles vivem numa ditadura que concede habeas corpus. Aff.
Essa Sininho é insuportável. Menina mimada e histérica. Chata. Quando o bicho pega, fica conversando com o papai pra decidir se vai pra BH, pra POA ou pra PQP. Ah, me poupe de novo! Desde quando o trabalhador de verdade tem essa múltipla escolha? Tem papai por trás pra pagar mesada enquanto a filhinha passa uns dias fora pra esperar a "coisa esfriar"? Não tem não. Trabalhador de verdade, diferente desses neo-acordados, tem que encarar a luta diária sem fugir. E sempre enfrentou a repressão policial de peito aberto e cara limpa.
Sobre os que defendem esses "ativistas" insuportáveis como essa menina chata, eu acho que, por um princípio de coerência, deveriam defender a Yoani Sanchez também, aquela pseudo-franciscana ridícula e farsante, que também combate a "ditadura cubana" que a permite viajar o mundo todo fazendo propaganda negativa contra o seu país.
O discurso que embala todas essas yoanis é o mesmo e não passa de uma hipocrisia que tenta justificar os desvios de comportamento dessa gente como se fossem uma reação a uma causa anterior. Quer dizer, inventa-se uma situação imaginária - ditadura, perseguição etc. - para justificar o "ativismo"... Faça-me o favor!
Repito: não estou aqui defendendo a polícia. Odeio repressão policial, mas não dá pra bater palminha pra um bando de moleques arruaceiros brincarem de adolescentes inconsequentes. Quero que eles tenham amplo direito de defesa, que não sejam privados de direitos ilegalmente, que não sofram abusos, mas que também não sejam tratados como inimputáveis PORQUE NÃO SÃO!!! O Estado Democrático de Direito não pode passar a mão na cabecinha daqueles que não respeitam a Democracia e o Direito. O Estado não pode se comportar como o "seu" Ludovico, pai de um daqueles agressores que espancaram uma trabalhadora doméstica num ponto de ônibus aqui no Rio, em 2007, e que não se conformou com a prisão de seu filhinho. Me poupe, pela última vez.
E pra mim esse papo chato já deu.