19 de março de 2016

Afetos (bio)Políticos - Ódio

- por Rafael Lauro
Espinosa fez uma das grandes perguntas da filosofia: o que pode o corpo? E não é à toa que hoje o holandês é estudado no campo da Filosofia, Ciência, Política e Psicologia. Falamos demais da alma, mas esquecemos de perguntar e entender o que é um corpo e de que maneiras ele é capaz de ser, estar, agir.
Podemos dizer que poucos conceitos são potentes como os afetos de Espinosa. Eles abrem um enorme campo de análise para melhor nos relacionarmos com a vida. Não é apenas filosofia de gabinete, Espinosa está nas ruas, no dia a dia, na política, nas relações.  Através do conhecimento – o mais potente dos afetos – passamos a identificar com certa clareza quais são os afetos que  regem a nossa vida. Podemos entender melhor o funcionamento deste circuito dos afetos, o modo pelo qual um sentimento, um corpo, uma biologia, se torna inseparável da política.
O ódio é uma tristeza acompanhada da ideia de uma causa exterior” – Espinosa, Ética, parte III, definição dos afetos
Recentes fatos da política brasileira nos remetem imediatamente ao ódio. Por todos os lados, estamos cercados de bocas espumantes, veias saltadas e olhos fulminantes. As televisões não desligam, as rádios tagarelam impropérios, está na boca do povo: “Canalha, pulha, ladrão, vagabundo, corrupto, vigarista, cafajeste, patife”. Quais são as consequências de ter no ódio o afeto (bio)político fundamental?
A simplicidade de um afeto torna-se complexa conforme vai se espalhando. Uma pessoa nos causa tristeza e reagimos odiando aquela pessoa. Deixamos de lado todas as circunstâncias daquela afecção e ligamos a tristeza causada àquela pessoa, objeto ou fato. O ódio está ligado à tristeza, e quando ficamos tristes, a nossa capacidade de pensar diminui.
Tristes, temos cada vez mais ideias inadequadas. Quanto mais entristecidos nos tornamos, mais confusos se tornam os afetos. E assim passamos a odiar a chuva por que ela alaga as nossas ruas entupidas de cimento. Passamos a odiar nossos amigos quando estes não dizem aquilo que queremos ouvir. Passamos a odiar, em suma, tudo aquilo que não toma nosso partido. O ódio liga, faz a ponte entre o estado do meu corpo e o corpo exterior que me afetou. Ele não fala da relação, ele diz apenas do estado do meu corpo e procura uma causa.
Não há falta, o corpo sempre é preenchido por afecções, seja de tristeza ou de alegria! O que pode o ódio? Do que este afeto é capaz? Somos odiosos demais! Ligamos prontamente a tristeza a uma causa. Tão ingênuos. Como  saber as causas com tanta frequência? Muito mais frequente é estarmos perdidos, cansados ou distraídos. Tristes, só sabemos nos mover contra aquilo que odiamos. Ignoramos os conselhos de Zaratustra sobre a honra de se ter um inimigo. Abrimos a boca por pouca bobagem para cuspir mesmo que seja contra o vento. Manifestamo-nos pelo nada, mas contra tudo! Elegemos vilões sem heróis, pois não temos força para assumir a responsabilidade por nossas dores. Dividimos, separamos, excluímos, recortamos a realidade para o nosso mimo. Mia Couto escreveu sobre o mundo de quem tem medo, um mundo pequeno, cercado, em que nada fuja ao controle. O mundo de quem tem ódio é um mundo monocromático. Só há uma cor e oposto dela. Preto e branco; ou vermelho e azul.
Como nos movemos por este campo de afetos? “Quando a mente imagina aquelas coisas que diminuem ou refreiam a potência de agir do corpo, ela se esforça, tanto quanto pode, por se recordar de coisas que excluam a existência das primeiras” (Ética III, prop 13). Tornamo-nos saudosistas ou utópicos! “Amanhã ele vai ver! Ele me paga”, ou então “no meu tempo era diferente, antigamente não era assim!”. Ou pior: “Quem imagina que aquilo que odeia é afetado de tristeza, se alegrará; se, contrariamente, imagina que é afetado de alegria, se entristecerá” (Ética III, prop 23), Espinosa nos ensina que existem alegrias tristes, alegrar-se com a tristeza de alguém é um bom exemplo disso! Esforçamo-nos para que a coisa que odiamos seja afetada de tristeza e odiamos tudo aquilo que a afeta de alegria. Estas são apenas umas das consequências deste afeto.
Ao contrário do medo, que como afeto (bio)político paralisa; o ódio movimenta, mas por vias tortas, não como a alegria, que nos vincula com a vida. O ódio solta bestas ferozes e obedientes, instruídas para morder: “Esforça-se por afastar e destruir a coisa que odeia” (prop 13, corolário). Tristes, somos cada vez mais agressivos. Nasce a desonestidade intelectual e o interesse pelo entendimento raso. Difamamos, revidamos e fechamos os olhos para a pluralidade de posições, para a complexidade dos fatos, “A culpa é de fulano!”. Promovemos uma fé pelo unilateral e começamos a crer que tudo tem um lado só; e o nomeados de verdade. Acreditamos piamente em quem carrega nossa verdade sob os braços e a eles demonstramos nossa empatia, só a eles. Empatia seletiva é um recurso de proteção do próprio ódio, que se alia à mais profunda vontade de conservação. O ódio movimenta erupções: grandes demonstrações destrutivas sem nenhuma perspectiva de construção; a lava deixa o solo infértil.
Tristes, afirmamos cada vez menos. Tomamos gosto pela negação, o ódio tem a mesma propriedade do açúcar refinado: ele adoça e rouba o sabor. Nos afastamos da política de Espinosa, a da afirmação, a da constituição comum, baseada na alegria, na sinceridade e no amor; e vamos em direção a uma política de ódio, de negação, aquela que investe no poder e esquece-se da potência. A pergunta de Espinosa ainda é atual: o que pode um corpo? Para nós, cabe perguntar, o que pode um corpo inundado de tanto ódio? Pouco… pouquíssimo… ou quase nada.
Texto da série: Afetos (bio)Políticos

12 de março de 2016

A História de Lúcifer


Despertem, Sementes de Luz!
Despertem para a Unidade em Amor.

Clic aqui para acessar o documento.

PS: Abra sua mente.


29 de janeiro de 2016

Mensagem de Pai João de Aruanda



Originariamente, a mensagem do Pai João de Aruanda foi entregue ao canalizador Gabriel Raio Lunar através de psicofonia no dialeto dos antigos escravos, mas foi transcrita de acordo com a norma padrão da Língua Portuguesa para o emprego de ajustes gramaticais facilitadores da compreensão.

--------------------------------------------------------------------------

Salve, filhos!  Salve filhos do meu coração!

Nós estamos iniciando um novo tempo, uma nova etapa do caminho de evolução da Terra. Milhares de irmãos da Fraternidade de Luz de vários outros sistemas estelares estão descendo à Terra em sua forma espiritual e auxiliando na limpeza dos mundos criados por mentes desequilibradas - aqueles que vocês conhecem como “submundos”. É um trabalho difícil, já que as forças que controlam esses planos mentais são fortes e não desejam abandonar a sua fonte de alimentação. Difícil também, porque alguns irmãos na Terra se deixam abater por algumas forças que tentam desestabilizá-los.

Lembrem-se, queridos filhos, quanto mais vocês estiverem se dedicando à Luz, mais vocês serão vistos pelo outro lado. Isso não quer dizer que correm perigo. Muito pelo contrário. Quer dizer que MAIS OPORTUNIDADES VOCÊS TÊM PARA AJUDAR, porque quando um irmão escuro vê a sua Luz e se aproxima, seja ele um capanga de um chefe negro ou uma alma penada, ele pode, rapidamente, ser envolvido na sua energia de amor. Não foi assim que Jesus fez, filhos? Envolveu a todos que chegavam até Ele. E qual a diferença de Jesus para vocês, filhos? Não venham dizer a esse velho que “Jesus era Jesus”, porque isso nós não aceitamos. Jesus era Jesus,  sim, mas Ele quer que vocês façam como Ele. Ele disse isso, não se lembram? Muitos filhos ainda se perguntam "qual a minha missão na Terra?" – Ué, filhos, não tá claro, ainda?Amai uns aos outros, fazei o bem àqueles que vos perseguem, perdoai aos vossos inimigos, tende fé em Deus e sede íntegros. É disso, filhos, é daí que tudo parte.

Nós e toda falange de Caboclos e Exus guardiões estamos em um trabalho incessante, dando apoio a essas forças espirituais de alta envergadura no processo de limpeza planetária. Por isso vocês têm visto tanto caos correndo à solta no mundo como nunca antes, queridos filhos!

Sim, no passado houve grandes confrontos entre as forças da Luz e da escuridão, mas agora, filhos, é a luta final. Agora estamos na batalha prenunciada pelos Mestres da Luz há muito tempo. Estamos na batalha alertada por nosso Senhor Jesus Cristo quando em Terra.

As forças escuras estão em maior evidência; as forças da Luz também. E isso é cada vez mais claro pra vocês, filhos! Vejam! Enquanto todos estão fazendo os seus afazeres diários, um grande movimento está acontecendo em volta de vocês. Aqueles que abrem o coração podem sentir as variações de energias os rodeando. O véu que nos separa está mais fino, filhos, muito mais fino! Muitos daqueles buracos de Luz, (portais), estão se abrindo em todos os espaços. Há muita coisa acontecendo...

Parem de perder tempo com mesquinharias, filhos, com coisas pequenas, sem importância quando algo grandioso se desenrola em volta de vocês. Não é mais tempo para lamentações e choros de canto de parede. 

Ergam-se, meus filhos! Olhem para o céu com força e fé! Avante, filhos da Nova Era! Não importa se seus familiares, amigos ou quem quer que seja não acreditam em vocês, se eles não acreditam na mensagem dos novos tempos! Não importa! Jesus deu sua mensagem e muitos não creram!

Muitos de nós, esses velhos negros antigos das senzalas africanas, da Guiné, do Congo e brasileiras, muitos estivemos lá, com o Cristo. Muitos de nós deixamos passar a oportunidade que nos foi dada naquela época, mas agora, filhos, o tempo é outro! Nós aprendemos uma lição. Aprendemos da forma mais dolorosa... E hoje, nós estamos aqui para dizer que vocês não precisam ser escravos, não precisam ser escravos de um sistema, escravos de uma força escura, escravos dos seus pensamentos! Ergam-se! O Amor está flamejante em vocês, filhos! Ergam-se pelo amor de Deus! 

O que nós, do reino de Aruanda e demais grupos espirituais que trabalham pelo progresso da terra desejamos, é que vocês possam nos ajudar colaborando com boas vibrações. Muito trabalho está sendo feito, filhos, muito trabalho. Estamos pedindo que vocês observem mais as suas atitudes como seres humanos e percebam que tudo que vocês falam e fazem tem forte influência sobre o panorama geral do planeta. Nós sabemos que vocês, como seres humanos, estão cansados e muitas vezes sobrecarregados de tantas coisas, mas nós estamos trabalhando do lado de cá para que, de alguma maneira, vocês possam ser aliviados do fardo que o submundo, às vezes, impõe a vocês. Claro! Nós não estamos trabalhando apenas para isso, mas de um modo geral o fazemos para a libertação desse planeta.

Quando vocês se encostam de canto e começam a lamentar a vida e suas tribulações, vocês dificultam, e muito, o nosso trabalho, e dificultam o seu próprio progresso como seres em expansão. Às vezes, vocês pedem o nosso auxílio e no mesmo instante lamentam: "Ó, meus queridos mentores, me ajudem! Está tudo tão ruim! É tudo tão injusto!"

Vocês têm que decidir o que vocês querem, meus filhos! Assim vocês nos deixam no meio do caminho, porque nós não podemos descer para ajudar e, ao mesmo tempo, concordar com vocês que é tudo tão ruim e injusto.

Caso se sintam confortáveis para isso, peçam ajuda assim: "Meus irmãos espirituais! Eu estou aqui e estou disposto a ajudar no que for preciso, porém enviem-me uma Luz para que eu possa expandir meus horizontes e ver de maneira que possa compreender e ajudar da melhor forma. Que Deus ilumine meus pensamentos e ações para que eles sejam apenas para o serviço da Luz". - Viram? Não tem lamentação. - É um pedido simples e empoderador, filhos! Mas claro, isso não tem que ser seguido à risca. Orem nos seus corações à sua maneira. Só não lamentem, meus filhos! Não lamentem porque vocês ficam parecendo criancinhas pedindo colo e isso não fica bem pra vocês. (Gabriel: Ouço-o dando uma risada gostosa e amorosa).

Muitas vezes, quando entram em um estado de vibração elevada, vocês são percebidos pelos senhores desses submundos e eles enviam os seus capangas para os derrubarem desses estados abençoados, e nós, aqui, filhos, estamos trabalhando para ajudar a melhorar a situação de vocês, para que vocês consigam tomar suas próprias decisões baseados apenas em seus corações e não mais influenciados por forças exteriores. Certo que esses irmãos só atuam em vocês quando vocês, de alguma maneira, dão margem para isso, mas nós sabemos o quanto é difícil se manter bem, quando se tem um mundo sombrio os rodeando e tentando os influenciar. 

Nós não estamos aqui trabalhando para salvar crianças dos seus monstros noturnos, mas para iluminar esse planeta. E enquanto trabalhamos para iluminar esse planeta, nós os ajudamos a ver que não existem monstros, porque todos eles se dissolvem quando a Luz é acesa. Nós estamos trabalhando, filhos, para que o mundo seja iluminado, mas ainda poderão existir aqueles que desejam continuar acreditando em monstros. Se esse velho dissesse que estamos trabalhando para salvar vocês dos monstros, estaria dizendo que eles existem, mas eles não existem. Acenda a Luz e veja. Deixa de ser medroso e melindroso!

Força, filhos! Força, meus amados! O tempo de mudança é chegado para todos vocês e também para nós do reino de Aruanda e demais. É um grande avanço no seu caminho espiritual.

Muitos ainda duvidam das nossas palavras. Muitos que agora leem nossas palavras são, de certa maneira, céticos quanto à mudança que está se desenrolando. Mas não esqueçam, filhos, que essas mudanças foram previstas por grandes mestres que desceram na Terra e vestiram a carne. E vocês agora estão sendo testemunhas de que as profecias estão se cumprindo. Vocês, acima de tudo, deveriam se alegrar, porque profecias de destruição do planeta Terra foram eliminadas e não mais poderão se cumprir, uma vez que os trabalhadores de Cristo transformaram essas profecias desastrosas em amor e Luz!

Salve, filhos! Salve a sua força! Salve a força da Terra e dos seus sagrados guerreiros Orixás! Salve a força do homem, da mata, das cachoeiras, dos ventos e mares! Salve em Deus! Salve!

Somos tantos os mentores que estamos do lado de vocês os apoiando nesse caminho, filhos! Não esqueçam que esses pretos velhos já estiveram na sua condição humana de ser. Nós sabemos. E podemos orientá-los ao caminho do coração, pois ali vocês encontrarão as brechas e trilhas iluminadas para caminhar apesar da escuridão que tenta dominar o mundo, em meio às suas últimas forças, ao verem que o progresso não pode ser parado, pois tudo na criação de Deus Pai todo Poderoso é contínuo. Esses irmãos que carregam a tocha escura sabem que precisam deixar esse mundo e ir para outros espaços, onde as suas naturezas, ainda que temporárias, sejam lapidadas para que possam voltar ao estado de plenitude divina.

São tantas as palavras que esse velho gostaria de compartilhar com vocês, meus queridos filhos! Estou rodeado aqui de muitos pretos velhos enquanto transmito esse recado a esse jovem rapaz para que este o transmita-lhes também.

É muito amor que sentimos por todos vocês, queridos filhos da Luz. Ajudem-nos no que tange a iluminar esse mundo com boas ações. Pensem sempre mil vezes antes de tomar atitudes agressivas e desempoderadoras. Ajudem seus irmãos nesse caminho com os seus exemplos, meus filhos, ajudem! Nós estamos fazendo nossa parte. Nós estamos vendo quantidades inimagináveis de irmãos estelares baixando na atmosfera da Terra e adentrando nos planos espirituais da existência terrena e promovendo uma limpeza linda das zonas sombrias deste orbe terrestre. O que nós pedimos é apenas que se juntem a nós. Juntem-se a nós com suas armaduras de Luz e amor, meus filhos!

Nossas palavras agora são carregadas de amor e as enviamos na esperança que toque os seus corações. Não pelas palavras que ditamos aqui, porque nós sabemos que muitos de vocês já as ouviram de várias outras fontes, mas era uma oportunidade que tivemos de vir deixar o nosso amor e em meio às palavras, e o deixamos!

Que a radiação desse povo bendito de Aruanda abençoe a todos vocês neste caminho, filhos! Que vocês possam ter a saúde e as bênçãos dos céus sobre vocês! Que possam ter abundância e alegria neste caminho e sempre, sem dúvida, a nossa amizade e amor sinceros. Nós amamos vocês, filhos! Alegrem-se! O tempo é chegado e não ficará um grão de areia dessa terra de Deus que não seja iluminado pela Luz que vem do coração de Deus!

Que nosso senhor Jesus Cristo os abençoe, filhos! Que as forças dos grandes Orixás os guiem! Que a Irmandade Estelar esteja sempre a protegê-los e a orientá-los sobre a sua estada em Terra e que nós, esses velhos contemporâneos possamos sempre ter abertura para chegar a vocês, trazendo-lhes uma fagulha de Luz e amor e lembrando que vocês são trabalhadores da Luz do Cristo Jesus e todos nós, como uma grande família, estamos vencendo as trevas que, por tanto tempo, dominaram a Terra. Mas que agora se vão! Se vão para nunca mais tornarem a voltar.

Salve a sua força, Filho da Luz!

Salve os Pretos Velhos!

Salve Pai João de Aruanda, em Cristo Jesus.

Gabriel: Grato meu pai velho, querido!

Fonte: Sementes das Estrelas
Veja mais canalizações minhas Aqui
Revisão de Texto: Luis Fernando Rostworowski e Solange Yabushita