23 de julho de 2015

Níveis

Somos compostos por diversos níveis. Desde o mais sutil até o mais denso. Em ordem: monádico, intuicional, racional, emocional, energético sutil, energético denso e kundalínico. 
Nós seres humanos (em teoria) estamos no nível racional. Teu cachorrinho é o emocional. Uma plantinha está no energético sutil e uma pedra no energético denso. Soube disso numa palestra com o queridíssimo Professor Rô. 

Gosto de explicar isso pra quem quiser entender. Concordo e me identifico com essa classificação. Dentro de mim faz completa lógica. Organiza meus conhecimentos e minha forma de entender o mundo. 

Não somos UMA das sete fases. São níveis de percepção. Você entende o universo a sua volta de forma completamente diferente de seu animalzinho de estimação porque - além de kundalínico, energético denso e sutil e emocional - você também possui a ferramenta do racional. São vias de acesso que somam, não que excluem. 


Uma distância ainda maior está entre você e a "alface nossa de cada dia". Ei, antes de me chamarem de "assassina sanguinária de alfaces inocentes" por ser vegetariana... Calma lá! Sim, as plantas respondem aos estímulos externos (como conversas e músicas) mas não de forma emocional e sim energética. Existem energias das mais variadas frequências. Desde elevadérrimamente sutis até mega hiper supra densas. Se você xingar uma planta ela não vai ficar triste, mas sim responder ao teu estímulo energético negativo. 



Grandes ícones históricos como Jesus, Shiva e Buda - em teoria e generalizando - teriam entrado nos estados intuicionais e monádicos. Crianças índigos e cristais (ou, como queira chamar "espíritos mais evoluídos") estariam respectivamente nesses tais estados. Boa hora para contar que o estado monádico se divide em dois: um em que a personalidade ainda se manifesta e outro em que não (o EU deixa de fazer sentido e de existir).
Uma boa forma para entender é a exemplificação (vou resumir em racional, intuicional e monádico - afinal, os "inferiores" todo mundo conhece e entende muito bem ): 
°Racional- O EU se vê como algo completamente independente das pessoas e das coisas a sua volta, o interesse está no individual. 
°Intuicional- O EU se vê como algo completamente interligado às pessoas e às coisas a sua volta, o interesse se encontra no coletivo.
°Monádico- O EU é as pessoas e as coisas em volta. 


É importante deixar bem claro que independente do seu nível de consciência, somos todos parte de uma mesma equação matemática e exata. É extrema pretensão achar que se tem mais valor que outra pessoa (ou mesmo que uma cenoura ou pedra). Me assusto com esses movimentos "new age" que estão mistificando e hierarquizando cada vez mais um processo natural e contínuo que é a tal evolução. Faz parte da natureza do homem cada um (e todos eles) se acharem únicos e muito especiais (resumindo: cada um se acha diferente e além de todo o resto). Mas isso assumir - já não basta todas as religiões que já temos - uma visão dogmática e seletiva... Ai, me dói o coração. 



Cuidado com tuas certezas. Elas te servem para evoluir, não prender. Sei que isso que vou falar pode parecer coisa do tipo "salvem as baleias", mas... Procure teu amor incondicional. Tenha a flexibilidade, força e humildade para estar aberto aos seus processos. Encontre sua fé dentro de si, e independente de qualquer religião ou seita. A fé que determina as religiões, e não o contrário. 



Nicole Koll

13 de janeiro de 2015

ZAZ - "París" 2014 (Álbum Completo)


Paris é o terceiro trabalho de estúdio da francesa Isabelle Geffroy, mais conhecida pelo nome artístico Zaz. A artista se tornou conhecida com a canção Je veux, single de Zaz, seu primeiro álbum; e pelo estilo único de suas canções, que mesclam a tradicional música francesa com o gypsy jazz.


Faça o Download do Álbum Completo =======> AQUI   [ Não contavam com minha astúcia! ;-) ]



10 de janeiro de 2015

Virgindade - Sou Virgem

:: conhecemos muitas Mulheres Virgens ::


"Antigas sacerdotisas da lua eram chamadas de virgens. 'Virgem' significava não-casada, não-pertencente a um homem - uma mulher que era uma em si mesma. A palavra deriva do Latim, significando força, habilidade, e mais tarde foi aplicada a homens: viril. Ishtar, Diana, Astarte, Isis eram todas chamadas virgens, o que não se referia à sua castidade sexual, mas à sua independência sexual. E todos os grandes heróis de culturas passadas, míticos ou históricos, eram ditos serem nascidos de mães virgens: Marduk, Gilgamesh, Buda, Osiris, Dionísio, Genghis Khan, Jesus - todos eram reconhecidos como filhos da Grande Mãe, a Força Original, e seus enormes poderes provinham dela. Quando os Hebreus usaram a palavra, e no original em Aramaico, significava "mulher jovem", "donzela", sem conotações de castidade sexual. Mas mais tarde tradutores cristãos não puderam conceber a "Virgem Maria" como uma mulher de sexualidade independente; eles distorceram o significado para sexualmente pura, intocada, casta" -- Monica Sjöö, The Great Cosmic Mother: Rediscovering the Religion of the Earth.

"Ancient moon priestesses were called virgins. ‘Virgin’ meant not married, not belonging to a man - a woman who was ‘one-in-herself’. The very word derives from a Latin root meaning strength, force, skill; and was later applied to men: virle. Ishtar, Diana, Astarte, Isis were all all called virgin, which did not refer to sexual chastity, but sexual independence. And all great culture heroes of the past, mythic or historic, were said to be born of virgin mothers: Marduk, Gilgamesh, Buddha, Osiris, Dionysus, Genghis Khan, Jesus - they were all affirmed as sons of the Great Mother, of the Original One, their worldly power deriving from her. When the Hebrews used the word, and in the original Aramaic, it meant ‘maiden’ or ‘young woman’, with no connotations to sexual chastity. But later Christian translators could not conceive of the ‘Virgin Mary’ as a woman of independent sexuality, needless to say; they distorted the meaning into sexually pure, chaste, never touched." —Monica Sjöö, The Great Cosmic Mother: Rediscovering the Religion of the Earth.


22 de dezembro de 2014

O Seu Verdadeiro Signo | Astrologia Sideral

Leia Aqui Sobre o Autor e o Livro

Em 1977, Carlinhos Lyra, conhecido e aclamado nos anos 60/70 como compositor de Bossa Nova, estudou Astrologia Sideral nos EUA e voltou com uma descoberta surpreendente... Existe um erro astronômico no cálculo das constelações para os signos do Zodíaco. Os Vedas já diziam isso. A verdadeira Astrologia não é essa que vendem a você em qualquer esquina. E digo mais: existe um interesse oculto de que você não saiba qual é seu verdadeiro signo. Por que fariam isso? Simples... Há muito tempo foi decidido por uma cúpula de poder que a verdade não fosse revelada a humanidade pois isso daria equilíbrio, força e sabedoria a mesma. E nós sabemos que o interesse dos poderosos sempre foi desestabilizar para controlar. E se você descobrisse agora que você não pertence ao signo que sempre achou que era seu? Talvez ficasse chocado ou, pelo contrário, dissesse: "agora sim! este sou eu mesmo". Bom, fica a seu critério levar ou não em consideração este post. Para mim está mais do que claro e não mudou muita coisa pois antes eu achava que era uma cúspide Aquário/Peixes com Ascendente em Áries. Agora sei que sou Aquário com ascendente em Peixes. Porém, em relação aos amigos próximos e pessoas da família, observei que suas características físico-psíquicas e qualidades próprias estavam muito mais para a classificação da Astrologia Sideral (esta que vos dou) do que para a alterada e enganosa Astrologia Tropical (a que vendem a você "por lebre").

E você, amigo? Quer saber sobre o seu signo verdadeiro? Click no link que corresponde a sua data de nascimento na coluna do meio da Tabela Abaixo e seja feliz.



SIGNO
SIDERAL
|o seu verdadeiro signo|
TROPICAL

Áries
21 mar a 19 abr
Touro
20 abr a 20 mai
Gêmeos
21 mai a 20 jun
Câncer
21 jun a 22 jul
Leão
23 jul a 22 ago
Virgem
23 ago a 22 set
Libra
23 set a 22 out
Escorpião
23 out a 22 nov
Sagitário
23 nov a 21 dez
Capricórnio
22 dez a 19 jan
Aquário
20 jan a 18 fev
Peixes
19 fev a 20 mar