7 de agosto de 2017

Terra - Chaves Pleiadianas para a Biblioteca Viva

Galvanização da Deusa

Bárbara Marciniak




Resultado de imagem para terra chaves pleiadianas para a biblioteca viva


Aceitar a Deusa abrirá a Biblioteca Viva a vocês e lhes ensinará os segredos guardados profundamente no seio da Mãe Terra, pois quem é a Mãe Terra se não a própria Deusa?


+  
 +
                                                                                 +

Quando pensam no Criador Primordial, o que ou quem vocês imaginam?
Na sociedade em que vivem, foi-lhes ensinado que a energia de Deus representa a fonte e que a energia feminina representa o uso ou atividade dessa fonte. Diríamos o contrário: o feminino representa a fonte e o masculino representa como a fonte é usada. É verdade que o Criador Primordial é uma vibração feminina. A Fonte, como a conhecemos, é uma vibração feminina. Os consortes desse princípio feminino, a vibração masculina, competindo pelo amor da Deusa começaram a se fragmentar num mau uso da energia, há milhões de anos. Vocês constituem uma parte fragmentada desse mau uso da energia. Dois pleiadianos, filhos de um deus medíocre, tomaram posse da Terra, batalharam entre si e criaram o dilema atual. Num quadro maior, foi uma pequena disputa familiar. A divina Deusa Mãe fragmentou-se e assumiu muitas formas a fim de ser a consorte de numerosos deuses. Estes queriam se apaziguar, amar e estar nessa vibração da Mãe, porque ela era a fonte de todas as forças vitais criativas.
A Deusa é de uma consciência que permite todas as coisas. É a fonte que mantém todas as coisas reunidas, a cola da criação. Este é um conceito difícil de ser absorvido por algumas pessoas. É difícil para as mulheres conceber uma entidade poderosa, que corre através do próprio sangue, numa semelhança com elas mesmas. É chocante para os homens pensar que, talvez, uma vibração feminina possa ser a fonte que está por trás de todas as coisas. Sintam no âmago de suas identidades, a nutrição, a dádiva e o mistério da Mãe. Haverá um retorno e um despertar da energia da Deusa Mãe. Vocês verificarão, nesta década, que todas as religiões estão baseadas num falso ideal. Todas elas se baseiam num movimento patriarcal, controlador e insensível, quando, na realidade é a Deusa Mãe que está por trás de todas as coisas. Nós, nas Plêiades, descobrimos a causa básica de nosso mau uso da energia: nós não honramos a Mãe. Fizemos coisas para chamar a atenção da Mãe. Contudo não valorizamos a criação da Mãe, a dádiva da Mãe. O planeta de vocês precisa aprender quem a Deusa é como criadora. Isso é imprescindível. Compreender o lado escuro da Deusa faz parte da exploração da energia dela, porque a Deusa fez algo para perder o poder que tinha. Isso se
encontra nas células do ser humano, porque todos vocês, homens e mulheres, possuem a Deusa em seu interior. A Deusa nascerá através de vocês, sejam vocês do sexo masculino ou feminino. Houve um declínio e uma queda da Deusa por razões muito importantes. A energia da Deusa sempre reconheceu os direitos da fertilidade. A energia dela não é como no mundo ocidental; para ela, o sexo não era vergonhoso. A Deusa amava o sexo, que é, obviamente, a herança natural dos humanos. Porém, como em todas as coisas, a energia sexual foi mal utilizada.
Chegou uma época, dentro do domínio da Deusa, em que houve um enorme abuso da vibração masculina. As mulheres, influenciadas por fontes externas, perderam seu respeito e parceria com os homens e o senso de unidade entre homens e mulher. Após um tempo, dentro do domínio da Deusa, os homens se tornaram nada mais do que reprodutores. As mulheres ficaram tão perdidas no poder da Deusa, que os homens não eram mais considerados como iguais. Eram considerados como objetos para o exercício dos direitos da fertilidade. Muitos homens foram mortos após os rituais de fertilidade com representantes da Deusa local. As mulheres fizeram mau uso da energia sexual dos homens, criando a relação atual. Isso tudo está mudando e vocês encontrarão a Deusa, com compaixão, entrando nas vidas dos que desejam sentir. A energia da Deusa foi, numa certa época, impregnada de uma tremenda força negativa e tornou-se distorcida em seu propósito. Isso ocorreu nos tempos pré-cristãos. Então, o pêndulo balançou para o outro lado, de modo que, quando a vibração masculina começou a desempenhar o seu papel, atuou com veemência em resposta àquilo que algumas mulheres haviam feito. As memórias de vocês estão armazenadas em suas células e sangue e vocês determinaram sua experiência pelas escolhas que fizeram. Vocês foram revestidos de uma energia divina negativa e controladora, e é hora de a Deusa ser reconhecida. É necessário que haja um equilíbrio, sem que adorem uma vibração mais do que outra. Os homens, ao honrarem a Deusa, aprenderão a honrar à vida. As mulheres aprenderão a redefinir a forma de trazer um ser à vida. A vida pode chegar com um grande orgasmo no parto. Essa é uma área na qual vocês vão reestruturar suas crenças e experiências.
Quando vocês exploram a Deusa, começam a dar valor à vida. Quando valorizam a vida, não superpovoam a Terra e não matam. O que precisa estar na vanguarda do paradigma do mundo é uma compreensão do que é a vida, do que é a morte, do que são todas as espécies e do fato de que tudo está interligado – tudo está ligado à mesma fonte. O movimento patriarcal mudou a história dos humanos, banindo a Deusa para o campo do mito e da lenda. Onde encontrar a Deusa na Bíblia, no Corão, no Tora. A batalha entre a Deusa e o patriarcado tem sido ininterrupta, e, hoje, vocês se encontram tão afastados da energia da Deusa que nem mesmo possuem uma imagem ou modelo de quem a Deusa Seria. Que sociedade ocidental vocês conhecem que honra a Deusa? Contudo, o portão de entrada
para a costa leste dos Estados Unidos é representado por uma garbosa mulher segurando uma tocha. A Deusa é muito generosa. Ela permaneceu por trás da cena nessa batalha do patriarcado, porque sabe que é a força criativa em todas as coisas e que todas as coisas precisarão finalmente encontrá-la. Em sua generosidade, ela permite. O que significa dar à luz, amar o que se cria e permitir que essa criação atravesse o processo de evolução sem interferências? É um amor que protege ou é um amor que dá liberdade? Se uma força divina protegesse as próprias criações, controlaria o que aprende com suas criações e, portanto, poderia aprender só dentro de limites – só o que aquele tanto permitisse. Uma força que permite todas as coisas ter a oportunidade de aprender de inúmeras maneiras, porque tem a capacidade de dizer: “Mostre-me. Ensine-me. Eu sou você. Você sou eu”. Esse é um estado de consciência. Gostaríamos que cada um de vocês conhecesse a Deusa. Estabeleçam como objetivo chamar, de alguma maneira, a Deusa para si mesmos. Convidem-na a ensiná-los sobre a vida. Ela começará a trabalhar com vocês de maneira muito profunda. Muitos de vocês chamaram a nós, os pleiadianos, para a sua vida. Brincamos com vocês e vocês conhecem nossa vibração, nosso humor, nossos truques – até nós trabalhamos com a Deusa.
As coisas precisam mudar. A Deusa está, de fato, orquestrando eventos como parte da solução. A energia da Deusa trabalha com o coração humano para mantê-lo aberto. Pedimos a vocês para que mantenham o coração aberto, não apenas para si mesmos, mas também para aqueles que cruzam o seu caminho nesta época de grandes lições. Se vocês honrarem o princípio feminino dentro de si mesmos e no planeta, esse reconhecimento servirá como nova base para as comunidades e civilizações. Queremos que busquem essa força vital. Olhem para além daquilo que lhes foi ensinado. Encontrem a porção da Deusa, a energia feminina existente tanto no homem quanto na mulher, que está esperando vir à luz. Alegremente observem como podem afetar outros e como eles falarão a respeito das coisas que vocês estão descobrindo. Tudo o que estão aprendendo será ampliado e transmitido telepaticamente, de modo bastante audível, para aqueles que estão compartilhando esta jornada com vocês. A Deusa Mãe representa o princípio do amor. Mencionamos a frequência da luz – luz sendo informação – e a frequência do amor, atraindo a criação. A face inferior mais profunda da informação pleiadiana é sua sensualidade e sua sexualidade – sua criação através da vibração de amor com a Deusa. Trabalhar com a energia da Deusa requer uma exploração mais profunda do princípio feminino. É tempo de se falar, mostrar e compartilhar o conhecimento das mulheres, de uma maneira mágica, mística. É tempo de as mulheres descobrirem mais sobre seus próprios mistérios – seus processos de menstruação e nascimento e os ciclos de suas emoções. É tempo de compartilhar isso com os homens. Muitas mulheres: “O que posso compartilhar? Eu mesma não compreendo.” Bem, é tempo de elas se voltarem para dentro de si mesmas e dizer: “O que é isto que estou sentindo? Se tivesse de explicar a alguém o que é ser uma mulher, o que diria? O que posso fazer para me tornar mais como deusa num corpo de mulher – mais uma criadora de magia?” A Deusa interior é aquela que sabe – que leva informação de um sistema para outro.
Conforme avançar a década, haverá um aumento pronunciado de líderes e mestres do sexo feminino, pois a Deusa encarna através do seu gênero. Isso não quer dizer. Isso não quer dizer que Ela não trabalhe com as vibrações masculinas, pois os homens também aprenderão a como encarnar a Deusa. Ela não faz discriminações e não abriga raiva. É uma entidade bastante permissiva. Permitiu que muita coisa acontecesse por éons, de modo que todos pudessem aprender. Agora, a Deusa está exigindo que se honre aquilo que Ela permitiu ser criado através do mistério do sangue – através da verdadeira dádiva de Seu próprio útero. O sangue e seus mistérios constituem a chave para a compreensão de vocês mesmos, de sua linhagem genética e da própria Biblioteca Viva. Vocês são parte de toda a jornada de seu próprio sangue – para frente e para trás no tempo, por assim dizer. Os ancestrais e predecessores dos humanos podem ser acessados, sentidos, experimentados e afetados por uma atenção consciente voltada para o sangue. Como humanos, vocês crescem, alimentam-se e vêm a ser pelo sangue de suas mães. Através das mulheres, essa substância rica e vital aparece, como que por magia. Tanto para o homem quanto para a mulher, o sangramento feminino foi reconhecido tanto como um ato de poder quanto como uma maldição vergonhosa e ridícula.
O sangue é um símbolo vivo, uma evidência cíclica da conexão humana com os ancestrais e com os códigos de consciência armazenados dentro de todos os seres. Vocês constituem uma biblioteca genética e, catalogados em sua essência espiritual, estão os arquivos de experiências pessoais, planetárias e celestiais. Tais experiências encontram-se à disposição de vocês, na forma tridimensional que possuem, através de seu sangue. O sangue de vocês é rico em histórias. Está cheio de padrões e desenhos de natureza geométrica que se reconhecem, de acordo com o estado de consciência e intenção de cada pessoa. Para despertar para uma nova visão de vida, é preciso que vocês estejam dispostos a reconsiderar e a fazer mudanças. Os seus pensamentos são registrados por seu sangue. São impressos com fontes distintas, de acordo com os sentimentos que vocês têm, e, então, são irradiados para todos os mundos, para serem lidos. Vocês constituem a soma total de si mesmos na forma física devido a seu sangue. O sangue é produzido dentro das cavernas dos ossos que servem como esqueleto. Ele é rico ou pobre, de acordo com o projeto de intenções do indivíduo e combina-se com a capacidade que a pessoa tem de descodificar a vida como uma série de lições autocriadas. O sangue pode facilmente ser enriquecido e reestruturado. O modo pelo qual o sangue pode ser alterado e enriquecido é através da intenção. Dentro do cérebro humano há minúsculas partículas, semelhantes a magnetos, que são afetadas pelos raios de sol. Grandes ondas de energia e códigos telepáticos para civilizações são enviados por estradas cósmicas, saindo das Plêiades para o sol deste seu sistema solar. O sol transfere essa energia para as pessoas e para a lua. As energias penetram no crânio de cada indivíduo e são mantidas em seu cérebro por esses magnetos, através de um processo eletromagnético.
O trabalho corporal pode mudar a estrutura do sangue. Conforme vocês vão alinhando a sua consciência para se tornarem mais inteiros, o seu sangue vai se purificando. Torna-se algo muito, muito sagrado. As informações são armazenadas nos ossos e nas pedras. Os glóbulos vermelhos do sangue são produzidos na medula óssea. Quando vocês realinham o osso, o que ele faz para o restante do organismo começa a mudar. O realinhamento ósseo purifica o sangue, criando uma linha sanguínea mais acessível e colocando em ordem os segredos interiores da identidade. Frequentemente, as mulheres desdenham seu sangue menstrual, em vez de compreendê-lo como fonte de seu poder. O sangue contém o código genético, e porque a Deusa Mãe é a fonte de todas as coisas, é d’Ela que provém o código. É no sangue que se oculta a história. O sangue menstrual pode ser empregado para nutrir a vida vegetal, para marcar a Terra e deixá-la saber que a Deusa está novamente viva. Em geral, as mulheres não mais sangram sobre a Terra. Fazer isso constitui uma transferência direta da energia da Deusa. Quando as mulheres colocam seu sangue sobre a Terra, ela é alimentada. Foi dito às mulheres. Foi dito às mulheres, por éons, que seu sangue era uma maldição e elas passaram a temer o próprio sangue. Elas não compreendem que ele é sua fonte e seu poder. Conforme vocês vão colocando de lado antigos tabus e trabalham com o sangue menstrual, verão que têm um efeito diferente sobre os animais e plantas da Biblioteca Viva. Mulheres: se vocês ainda menstruam, tornem-se sabias, honrando o próprio sangue e o próprio corpo. Seu sangue constitui uma das mais elevadas fontes de fertilização e demarcação territorial que vocês podem utilizar. Compreender os mistérios do sangue é a chave para a conexão com a fonte do próprio poder e de um profundo conhecimento interior.
Vocês podem marcar a terra onde vivem com seu sangue menstrual. Podem começar com os pontos cardeais: norte, sul, leste e oeste. Então, com o tempo, podem continuar a estampar a Terra, dando pinceladas numa tela. Podem diluir o sangue com água, aumentando, assim, a quantidade. Podem abençoá-lo e usar cristais para manter a vibração. Esse processo é considerado como a demarcação do território da Deusa. Atrairá plantas e animais que tenham uma nova vitalidade e sintam que são um com a Deusa. Numa série de histórias humanas antigas, o sangue foi empregado para afastar o mal ou para estabelecer intenções. Ninguém ousaria tocar numa porta que fosse marcada com sangue menstrual. Naquela porta ou naqueles que vivem por detrás dela, porque compreendia-se que a Deusa reinava ali. Naqueles tempos antigos, a Deusa ainda era respeitada. Compreendia-se que, quando alguém brincava com a Deusa ou desobedecia a Ela, seu trabalho não era divino. Ao construírem e desenvolverem novas comunidades, sugerimos que as mulheres de todas as idades se reúnam com a intenção de compreenderem o período menstrual e de compartilharem com os homens o poder e o conhecimento que possuem como chaves. Explorem os mistérios do sangue como um processo natural da vida comunitária. O corpo feminino, com seus ciclos, cria a imagem da vida. É muito importante que as mulheres compreendam o poder. Pensem a respeito da dinâmica envolvida na gestação de uma criança. A mulher mantém uma força vital, que cria movimento e deseja nascer. Há um poder misterioso nisso. É tanto poder que a vibração masculina veio a temer o processo e a magia do nascimento. Porque o macho esqueceu como dar à luz no planeta através de seu corpo, sentiu-se ameaçado pelo poder da fêmea. Os homens precisam acostumar-se com o sangramento feminino e apoiá-lo. Tempo virá em que vocês desejarão conhecer a própria linhagem e a responsabilidade de engravidar de maneira apropriada e no tempo certo, porque a vida tornar-se-á muito valiosa.
A menstruação passará a ser uma parte muito importante da comunidade. À medida que as mulheres alcançam a compreensão através desse poder, a Deusa se galvaniza e retorna a todos vocês. Se desejam uma horta fértil, a melhor horta da cidade, usem o seu sangue diluído com água. Essa horta florescerá. Vocês verificarão que o sangue pode acelerar o crescimento dos alimentos. Ele acelerará muitas e muitas coisas. Não há erro na menstruação. É uma das maiores dádivas. É o elixir dos deuses. Mulheres aborígenes recolhem seu sangue menstrual em bolsas e o empregam para curar feridas. Há muitas coisas que as mulheres podem fazer com o próprio sangue. Algumas mulheres não gostam da ideia de serem mulheres. Quando menstruam, acham desagradável, desconfortável, doloroso, uma experiência e um período inconvenientes. Os homens frequentemente não têm qualquer ideia do que acontece; assim, é complicado para eles também. Nos próximos dias, façam contato com a Deusa, abram o coração e descubram onde o sangramento pode levá-los e o que pode ensinar-lhes, pois no processo da menstruação repousam muitas chaves para o ressurgimento da Deusa no planeta. É preciso voltar a compartilhar o poder através da parceria. Há muitos outros mistérios a serem revelados e reinterpretados. Alguns de vocês podem estar se perguntando por que estamos tratando deste assunto. Ele é muito importante. Se não estão interessados na energia da Deusa e nos mistérios do sangue, afirmamos que perderão uma parte integral da vida e não compreenderão o que está acontecendo no planeta. Se ele “desliga” vocês ou se acham que é irrelevante, estão completamente enganados. Este é um dos mais vigorosos ensinamentos que podemos lhes dar nesta época para ajudá-los a compreender o que está para vir. O que precisam, como homens e mulheres, é completa e totalmente honrar a vibração da Deusa que chega através de seus corações e ajuda a abri-los.
O sangue menstrual é altamente oxigenado, é o sangue mais puro e transporta DNA descodificado. É o oxigênio que descodifica as fitas de DNA e permite a reestruturação dos dados. Os cientistas da Terra estão brincando agora com a terceira fita do DNA. Estão aprendendo como construir fitas de DNA baseados em luzes de fótons – fibras do corpo que chamamos de filamentos de códigos luminosos. O mistério do sangue tem sido subvertido nas religiões modernas. Vocês já se perguntaram sobre a comunhão cristã? Foi-lhes dito para comer o corpo e beber o sangue de Cristo. Qual é o significado disso? Se vocês foram criados como cristãos, já se cansaram de ouvir estas palavras: “Este é o meu corpo. Este é o meu sangue.” Esse ritual é uma distorção. Comer o corpo e beber o sangue é um convite ao canibalismo e baseia-se numa antiga e não curada infusão reptiliana. Uma coisa patética desse planeta é a tendência das multidões de defender uma causa sem saber verdadeiramente a respeito do que ela trata. A era da ignorância está terminando. Vocês estão chegando à era do saber abençoado. Lançamos algumas frases-chave que significam algo para a mente de vocês, usando som. Contudo, num outro nível, há uma linguagem sendo falada, que é descodificada pelos corpos humanos, exatamente como os círculos nas plantações.
Queremos acrescentar algo mais a esse caldeirão. A lua influencia os ritmos terrestres. Quem pode dizer que isso não foi planejado? A lua rege o fluxo de energia do corpo, do mesmo modo que governa as marés do planeta. É um computador eletromagnético muito potente. Se a lua afeta as marés, também afeta as marés do corpo humano, o sangue desse corpo e os hormônios desse sangue. Este planeta já passou por diferentes ciclos, acompanhados pelas oscilações do pêndulo. Houve um longo reinado da energia matriarcal na Terra. Depois, a energia patriarcal passou a reinar e erradicou qualquer indicação da liderança e do conhecimento femininos. O conhecimento feminino simplesmente passou para o mito e a lenda, onde se reconhecia a mulher como participante e receptora de vida. Ela se sentiu ligada à teia da existência através do processo de nascimento. Houve um tempo em que forças de inteligência extraterrestre trabalharam para ativar os princípios femininos. Fez-se isso por causa da capacidade feminina de sentir e dar à luz. É daí que provém a associação feminina com a lua. Houve uma influência proveniente da lua, que transmitia um programa de energia feminina. A lua é como um grande computador; assim, seres e formas de inteligência diferentes podem possuir a lua ou ter a capacidade de programá-la. Houve seres que programaram a lua para um ciclo feminino. Isso é lembrado porque envolveu uma época de amor e benevolência. Depois, naturalmente, as coisas mudaram. A energia proveniente da lua tem emitido frequências eletromagnéticas sobre a Terra por éons para manter o DNA de duas fitas. Não fiquem zangados com a lua por fazer isso. Não há nada de errado com ela; está apenas transmitindo programas. A lua estabelece um programa de procriação dentro das mulheres. Esse ciclo reprodutivo cria a possibilidade de gerar crianças muito mais frequentemente do que o ciclo solar.
Compreendam que a luz delineia o programa de procriação dos humanos. Porém, como espécie, vocês podem passar para um novo ciclo na procriação. Isso ajudará a estabilizar a população que está correndo solta no planeta. Há, hoje, o temor de que a população dos Estados Unidos se duplique num curto espaço de tempo. Vocês já estão estourando os limites. Nos próximos cinquenta anos, haverá uma influência diferente sobre a lua e os ciclos lunares mudarão os ciclos terrestres. Tudo irá mudar drasticamente. As mulheres têm a possibilidade de procriar mensalmente. Se tal possibilidade se reduzisse a apenas uma vez por ano, seria muito diferente. As mudanças irão alterar todo o ciclo feminino, de modo a mudar a taxa de gestação. O sistema atual não funciona. Vocês se destruiriam com a superprodução. Neste estágio de explosão da população mundial, não é conveniente para vocês essa disponibilidade para a concepção a cada ciclo lunar. Durante séculos, a parteira foi considerada como a maior inimiga da religião cristã, porque podia aliviar a dor, falar a outras mulheres sobre os mistérios de seus corpos e porque compreendia as ervas como uma parte sagrada da Biblioteca Viva. A religião cristã tornou-se muito patriarcal e temerosa da Deusa e das mulheres. Temia que o poder feminino tirasse autoridade da igreja e dos homens. A questão do aborto não tem nada a ver com o fato de a mulher poder fazer ou não um aborto. Foi planejado para manter as pessoas separadas e confusas a respeito da energia feminina. É um plano contra a Deusa, para retirar o poder das mulheres e fazê-las pensar que não têm escolha ou, se houver escolha, para fazê-las pensar que a escolha é o aborto. Há planos para confundir as mulheres a respeito de seus corpos num alto grau. Isso é certo. Não há problema, porque cada um de vocês escolhe as lições que precisa para aprender. Vocês podem abrir os seus corações e enviar energia de cura para as pessoas, convidando-as a entrar num estado de consciência expandida; porém, não podem fazê-las mudar.
A energia da Deusa está se movendo rapidamente, pronta para trabalhar com aqueles que estão dispostos a se lembrar do chamado dela. As instruções da Deusa são para que honrem os próprios corpos, a Terra e a própria sexualidade, porque é através desse processo que vocês são todos criados. Sabemos que algumas dessas ideias fazem com que se sintam desconfortáveis, e por isso as expusemos. Abracem a totalidade de seus corpos e aquilo que precisa ser feito e prossigam. Trabalhem juntos, brinquem juntos. Mulheres: acordem, leiam o manual do proprietário de seus corpos e descubram que possuem algo valioso. Homens: vocês também possuem algo valioso e esse algo, conhecido como corpo, tem ciclos, ritmos e padrões. Ele pode fazer coisas milagrosas. É uma grande distorção da identidade humana pensar que o sexo serve apenas para a procriação. É ridículo que isso tenha sido ensinado. Ninguém jamais terá de ter um bebê se não quiser. Comecem a pensar e sentir em termos de influenciar todas as funções de seu corpo, incluindo a concepção. Vocês podem dizer: “Sei que meus pensamentos e sentimentos controlam as funções de meu corpo. Eu o influencio e, quando estiver pronto para ter um bebê, energizarei isso. De outro modo, não estou disponível.” Este é um conceito muito libertador a ser considerado.
Se cada mulher do planeta realmente soubesse quanto poder possui, o que vocês acham que o patriarcado faria? Éons atrás, uma versão do patriarcado se viu ameaçada pelo poder das mulheres. Assim, para ocultarem o próprio poder, duvidaram de si mesmas, de modo que os homens pudessem tomar uma posição e dizer: “Deixem-nos ter uma chance de governar o mundo e ver como é.” A força feminina colocou-se na retaguarda. As mulheres concordaram em acreditar que havia uma maldição dentro delas e que a menstruação era ruim. Duvidaram da própria força vital existente dentro delas e se tinham qualquer influência sobre ela. Não apenas as mulheres são afetadas e controladas pela lua. Os homens também são. Vocês nascem através do ciclo feminino e os ciclos sexuais humanos são impressos por este processo. Também, devido ao fato de a lua controlar as marés e de 90% do corpo humano ser composto por água, a lua afeta também as marés dentro desse corpo. Os homens também podem sentir e trabalhar com as flutuações de seus hormônios, conforme seus corpos passam pelos próprios ciclos; podem aprender a reconhecer a sutileza dos ritmos masculinos. Devido às pressões e aos controles implacáveis que cercam os homens, tais ciclos não são tão notados quanto o das mulheres, que são marcados externamente por símbolos como o do sangue. A vibração masculina está em desalinho com a espontaneidade e muito alinhada com a obediência. Obediência a quê? Obediência a ideias que eles abraçam, sem sentir a oportunidade das crenças ou ideias. Sugerimos que mais homens questionem a autoridade e digam: “Não vou fazer isso. Pro diabo com isso. Vou fazer outra coisa.” A vibração masculina é atualmente levada a buscar a mesma liberdade emocional que as mulheres. Sem suas emoções, vocês não podem descobrir quem são. Para compreender os mistérios mais profundos, os homens precisam fazer as pazes consigo mesmos e compreender que as emoções por eles sentidas constituem a porção feminina de si mesmos.
O sangue é mais misterioso para a vibração masculina porque todo o sangue do homem encontra-se no interior do próprio corpo. Não é algo que ele possa ver e sentir a cada mês, como ocorre com as mulheres. A guerra é uma das distorções trazidas pelo patriarcado numa tentativa de dar aos machos o poder do sangue. Contudo, esse sangue não é o mesmo. É um sangue trazido
pela violência, pela destruição da vida, pela mutilação e pelo assassinato, com emoções e sentimentos sufocados e suprimidos. Há apenas uma maneira apropriada de o homem tomar para si o poder do sangue – e é a oferta do sangue feminino feita a ele por uma mulher, que com ele compartilhe esse elixir. Há muitas maneiras de se fazer isso. Comer frutas e hortaliças que tenham crescido em terreno regado com o sangue menstrual é uma maneira óbvia. Também, o homem pode ser marcado, na parte posterior do pescoço e nas solas dos pés, com o sangue menstrual. O corpo do homem absorverá o conhecimento contido nesse sangue. Os homens irão necessitar do sangue das mulheres e estas relembrarão a Deusa dentro de si mesmas e encarnarão o princípio da Deusa. Esse princípio ensinará a vocês a criar um equilíbrio sobre o planeta. É nossa intenção que as mulheres compreendam os mistérios do próprio corpo e compartilhem tais mistérios com a vibração masculina apropriada, sem segredos. Algumas vezes os homens temem o sangue das mulheres. Frequentemente o homem hesita em manter uma relação com uma mulher menstruada. Para a mulher, pode haver ansiedade em relação ao homem achar ou não desagradável a presença do sangue. Se vocês gostam de sexo durante a menstruação, sejam vocês homens ou mulheres, parabéns! Pois vocês superaram uma marca profunda. Vocês estão compartilhando com outra pessoa um profundo nível de conexão celular.
Fazer sexo durante a menstruação, numa relação em que exista um vínculo, é uma maneira muito poderosa de compartilhar o sangue. Esse é um ritual muito antigo e não aconselhamos que compartilhem o sangue menstrual em relações sexuais casuais. Isso é um ato sagrado e poderoso. Por que vocês acham que foi criado esse tabu? Por que vocês, durante éons, foram mantidos afastados dos mistérios do sangue? Talvez seja porque ele abriria as portas de um conhecimento que os deuses não desejavam que vocês tivessem. O sangue contém os arquivos da experiência pessoal, planetária e celestial. Quando o sangue é experimentado numa união sexual, vocês são inundados por ondas de conhecimento, muito além da capacidade que tem de compreender e integrar. Pode levar anos para que o profundo conhecimento descodificado no corpo humano, através do sangue, seja revelado. A contrapartida masculina do sangue menstrual é naturalmente, o esperma. Este, como chips de computador, carrega o código de inteligência para a evolução. Isso está atualmente sendo medido pelo grau em que a vibração masculina pode se lembrar da Deusa e aceitá-la. É o esperma que decide o sexo da criança. O óvulo permanece o mesmo. O esperma toma essas decisões. Ele é a história da Mãe codificada na vibração masculina e contém a interpretação de como o macho relembra essa história. Será que vocês conseguem conceber o fato de que o esperma possui uma ligação telepática com o indivíduo que o produz? Quando um homem faz sexo com uma mulher durante a menstruação dela, seu esperma pode agir como um explorador e, telepaticamente, enviar a esse homem o poder e o conhecimento da mulher. Durante a menstruação, um homem pode ter acesso à identidade
total da mulher. Mulheres: se vocês quiserem ter relações sexuais durante a menstruação, precisam estar prontas para compartilhar com seu parceiro os segredos mais profundos a respeito de quem são. Precisam estar prontas para o fato de que seu parceiro vai assumir e compartilhar seu poder. Ele é o mais antigo dos mistérios. Nas histórias sumérias, os deuses Enlil e Enki disputaram entre si o tratamento e as condições dos súditos, os humanos. O soberano Enki patrocinou os humanos e, através da mulher, presenteou a raça com o conhecimento sexual. O soberano Enlil proibiu estritamente o conhecimento sexual aos humanos, pois temia que isso os tornasse iguais aos deuses. Esses conceitos e afirmações invisíveis, de raiz celular, referem-se à versão atual da história da criação: Adão e Eva, a serpente e o jardim do Éden. O conhecimento sexual foi a dádiva de Enki, enquanto Enlil queria manipular e separar os humanos, para impedi-los de conhecer os atos dos deuses.
Nas mulheres, o sangue é a vibração da cor vermelha. No homem, o esperma é a vibração da cor branca. Misturados, sangue e esperma constituem um outro elixir. Considerava-se a pior heresia até mesmo pensar que os homens pudessem tocar em mulheres menstruadas, quanto mais ter relações sexuais ou misturar esperma e sangue ou, ainda, experimentá-lo. Contudo, em tempos imemoriais, quando a energia da Deusa era compreendida e quando as mulheres eram reverenciadas, a mistura era considerada a bebida da imortalidade para os homens. Eles compreendiam que, quando bebiam sangue menstrual ou misturavam com ele o seu esperma, tornavam-se revitalizados e revigorados. Era uma das chaves da imortalidade.
Esses deuses (chamamo-los deuses livremente e, talvez, deuzinhos e deuzinhas fossem termos mais adequados) ficaram tão enamorados da energia da Deusa, que quiseram ingerir o poder na combinação do esperma com o sangue menstrual. Lembrem-se que o sêmen, ao fertilizar um óvulo, ainda se utiliza do sangue. Ele o utiliza de muitas maneiras diferentes. Vocês todos possuem isso impresso dentro de si mesmos. Trazemos o assunto à tona porque queremos que falem sobre ele. Queremos lembrar-lhes a natureza poderosa de seus próprios corpos, para que os coloquem além das coisas das quais se têm envergonhado. Compreendam que muitas versões de autoridade mantiveram os humanos completamente afastados do conhecimento das maiores dádivas que possuem – as forças vitais do esperma branco e do sangue vermelho. No mito do Jardim do Éden, a vibração feminina recebeu o nome de Eva. Naturalmente, Eva não foi a primeira mulher. É a Deusa quem cria vida. Posteriormente, a história foi alterada, para fazer parecer que a vibração masculina tinha a capacidade de criar vida. Nessa versão da criação, a mulher proveio da costa de um homem. Não foi assim. É sempre a Deusa que sabe criar a vida, porque é ela que carrega o sangue. A bíblia relata a história da Árvore da Vida e da Árvore do Conhecimento. Esta última permite aos humanos serem informados. A capacidade e a prática sexuais equiparam-se à Árvore do Conhecimento, a árvore cujos frutos foram proibidos aos humanos. Eles foram proibidos também de participar da Árvore da Vida. O que é a Árvore da Vida? Muitos acham que a Árvore da Vida é algo que produz um fruto. Diz-se que, através da ingestão do fruto da Árvore da Vida alcança-se a imortalidade. Nos tempos antigos, compreendia-se que esse fruto era o sangue da Deusa. Ele era o fruto da Árvore da Vida. Pensem no próprio corpo e no sistema nervoso como uma árvore. As histórias não falam sobre frutos em árvores, mas dos frutos do corpo – as secreções e substâncias que são, de fato, dádivas dos deuses. Por éons, os deuses mantiveram vocês afastados deste conhecimento.
Manter relações sexuais com uma mulher, quando ela está menstruada, constitui uma das mais altas vibrações, porque vocês atravessam portais para outros domínios. Compartilhar o sangue é assumir a consciência mais elevada. Houve um tempo em que essas coisas era muito “in” e eram respeitadas, porque as pessoas compreendiam o que estava acontecendo. Lembrem-se: houve um tempo em que os maiores inimigos dos cristãos era a parteira, porque ela podia colocar as mulheres em contato com os próprios corpos e as assistia no processo de nascimento. Quando as parteiras foram proscritas e abolidas, as mulheres tinham de ir ao médico (do sexo masculino), aos quais, durante séculos, não era permitido aliviar as dores do parto. Sabem por quê? Porque as leis das antigas religiões diziam que as mulheres precisavam ser punidas por buscarem a liberdade sexual. Essa lei foi realmente levada para o campo médico. Foi apenas nos últimos cem anos, mais ou menos, que se permitiu às mulheres receberam algum tipo de assistência durante o parto e tal assistência é patriarcal, não baseada na maioria dos casos, no conhecimento inato das mulheres. Havia uma tradição de temor em relação à interpretação errônea do poder das mulheres. O medo existente a respeito do mistério que as mulheres carregam precisa ser dissolvido. Este é o tempo da parceria, o tempo do companheirismo. Desejamos falar também da menopausa. Muitas mulheres ficam tristes pelo fato de que, exatamente quando estão começando a compreender o poder da própria menstruação, não menstruam mais. Porém a menopausa é também um tempo de grande poder para as mulheres. Nos tempos antigos, as mulheres idosas eram reverenciadas por sua sabedoria e magia, e esse respeito está retornando. A menopausa envolve uma profunda infusão de energia, marcando o tempo em que a mulher é capaz de manter a própria sabedoria – a conexão com os ancestrais.
Quando a mulher atravessa a menopausa, experimenta uma pausa. Se ela for capaz de apegar-se a essa pausa, alguma coisa se transforma em seu interior e ela chega à sabedoria. Ao longo da história mais recente, quando a menstruação da mulher se interrompia, acreditava-se que se devia temê-la, porque agora essa mulher podia reter o sangue e manter todo o poder desse sangue.
A maioria das mulheres, por volta dos quarenta anos, e algumas mulheres aos trinta, começam a decretar a própria morte, energizando o processo de envelhecimento. As mulheres são afastadas de seus próprios ciclos naturais e, através de pensamentos, ódios e maldições contra os próprios corpos, acabam por desequilibrá-los. Há uma completa falta de compreensão a respeito da menopausa, muito semelhante àquela de que a menstruação é uma maldição. E todo mundo tende a adotar esses conceitos errôneos. Há uma grande dádiva na menopausa e nada é perdido nessa época da vida. É uma época de enormes benefícios e florescimento, bem ao contrário do que lhes foi dito. Frequentemente, homens vasectomizados temem seu próprio poder sexual e creem que não tem controle sobre os próprios corpos. A representação simbólica da vasectomia estabelece seu senso de ausência de poder – que seu esperma e pênis não fazem o que eles, homens, querem. O temor do esperma cria um temor do corpo. Os indivíduos vasectomizados também aceleram problemas relativos à próstata, pois cortar o fluxo do esperma cria dificuldades com o corpo. Não recomendamos a vasectomia. Recomendamos que aprendam a usar seus corpos em vez de condenarem as funções orgânicas me de criarem desvios. Abram-se para um senso de admiração, ao reconsiderarem suas próprias crenças sexuais.
A Deusa tem a capacidade de colocar seus segredos no sangue, porque é o sangue que cria. É por isso que as mulheres sangram e é também por isso que foram impedidas de honrar esse sangramento. Todas essas coisas são fundamentais. Queremos que vocês, como pessoas, desenvolvam uma íntima relação com a Mãe Terra. Como fazer isso? O trabalho básico da Deusa envolve relacionamentos. É assim que vocês se desenvolvem. Vocês nem sempre crescem ficando sozinhos. Vocês precisam pensar: “Oh, tenho mais paz e tranquilidade quando estou sozinho. Tenho mais tempo para estudar, para trabalhar com meu eu e fazer as coisas que escolhi.” Sim, e vocês têm todo o tempo do mundo para evitar o crescimento que ocorre quando se relacionam com outros. É importante que todos vocês desenvolvam relações uns com os outros. Vocês precisam se envolver com as pessoas – em parceria amorosa e sexual, nos negócios, na comunidade e com a família, se não com aquela de sangue, então com a Família da Luz. Vocês todos carregam códigos em seus corpos e precisam uns dos outros. A energia da Deusa não é necessariamente algo que possam atrair como o pilar de luz. Quando imaginam trazer a luz para o corpo e para os chacras, estão literalmente abrindo essas áreas. Estão tomando uma posi8ção como veem a si mesmos como seres densos, sólidos, versus seres cheios de espaço e luz. A Deusa é uma força que está além de tudo isso. Vocês não têm de puxar a Deusa, através dos dedos, para os olhos ou para dentro da Terra – a Deusa simplesmente é. Tornem-se conscientes da vitalidade dela na própria nutrição de todos os sistemas, pois a Deusa é a portadora e a criadora da vida.
Estar vivo é conhecer a Deusa. Procurem essa força dentro de si e em todas as coisas que os cercam. Digam: “Mostre-me, Deusa, quem você é. Quero conhecê-la.” Quando a maioria dos humanos pensava no Criador Primordial como uma personificação masculina, vocês não tinham problemas. Agora, transferir isso para o feminino, alguns de vocês não podem conceber. A vida vem da vibração feminina. Eva não saiu da costela de Adão. Esse conto serviu para dar poder à vibração masculina, que precisava, desesperadamente, ter algum tipo de identidade durante a luta contra a cultura da Deusa. Estamos buscando um equilíbrio. Se olharem ao redor, verão que vocês são homens e mulheres, e todas as histórias da identidade e da criação humanas reúnem a verdade de ambas as forças. Quando buscam o equilíbrio interior com o masculino e o feminino, idealmente estão atraindo um companheiro/a equilibrado/a da mesma maneira. Equilíbrio interior significa que vocês são sua própria fonte e que o próximo passo que darão será unir a própria fonte com uma outra, a fim de sentirem e de tornarem-se uma fonte maior. Não que vocês necessariamente precisem de um companheiro. Porém, o processo natural dos humanos é a construção de algo juntos – reunir as chaves, como aspectos masculino e feminino. Tais aspectos correspondem aos aspectos fisiológicos, que os conduzem aos domínios emocional e espiritual. A androginia representa um aspecto divino do macho e da fêmea integrados. Cada um de vocês tem dentro de si mesmos a força vital chamada kundalini, que é uma expressão da energia da criação. A grande maioria das pessoas do planeta, nem mesmo compreende que existe uma força dentro delas.
O ideal de tudo isso é ter o masculino e o feminino equilibrado. Como homens e mulheres, vocês possuem interiormente essa força vital da kundalini. Ela tem o seu próprio ciclo natural, com grandes picos de atividade. Vocês precisam abrir espaço para essa força vital dentro de seus corpos, para encontrarem a energia da Deusa e criar uma cura, uma transformação e uma percepção. Essa energia está ligada à serpente e encontra-se armazenada na base da coluna – conforme ela sobe a árvore da coluna espinhal, sua energia se espalha por todo o corpo. Não podemos nos mover porque vocês não podem se mover. E vocês não podem se mover porque nós os impedimos de evoluir, ao rearranjarmos vocês geneticamente. Fizemos isso de modo que não pudessem ter as habilidades que temos e não pudessem utilizá-las para nos usurpar. Agora, meio milhão de anos depois, estamos numa enorme encrenca. Sabemos que cometemos um grande erro, se é que há erros a serem cometidos. Resumindo, vocês descobrirão a própria capacidade de criar vida e a habilidade de serem deuses. Por quarenta anos, os cientistas da Terra pretenderam ser deuses, pois criaram vida em laboratórios subterrâneos, revivendo uma dramática lição atlante. Idealmente, a infusão da Deusa restabelecerá o valor moral e o valor da vida, porque a Deusa ama seus filhos, incluindo os répteis, os insetos, o povo gato e todas as formas de vida. Então observaremos vocês e veremos se, ao criarem vida, vocês a limitarão. Será que

terão medo de que a vida que criam se torne maior do que vocês? Será que proibirão a vida que criarem de interagir com a Árvore da Vida e a Árvore do Conhecimento? Ou irão encorajar as vidas que criarem, que serão os seus filhos – a futura raça de crianças azuis – a crescer, buscar e mudar, investindo-os com tudo o que sabem? Se assim o fizerem, eles, em troca, irão ensinar tudo a vocês. Não percebemos, ao criarmos vocês, que vocês tinham algo a nos ensinar. Vocês eram escravos; escavavam a terra à procura de ouro. Alguns deuses ainda estão presos na ilusão. Porém alguns de nós estão evoluindo, e isso, graças àqueles de vocês que foram semeados aqui na Terra para nos ajudar nesta importante tarefa. Agora, precisam transferir suas lembranças para a densidade mais profunda da Terra, para aqueles que não querem lembrar-se, aqueles que estão presos aqui, aparentemente para sempre, através da alteração genética. Todos precisam compreender e perdoar o drama da história. A galvanização da Deusa irá ancorar em um tremendo senso de cura. A Deusa, em Sua compaixão, permite. Aceitar a energia da Deusa dentro de si mesmos irá trazer a todos uma nova compreensão e valorização da vida e um amor novo e mais profundo por toda a criação. Aceitar a Deusa irá abrir a Biblioteca Viva para vocês e ensinar-lhes os segredos guardados no seio da Mãe Terra, pois quem é a Mãe Terra se não a própria Deusa?

Este é o V Capítulo do Livro - Terra - Chaves Pleiadianas para a Biblioteca Viva -- Presente para Download -- Clic Aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário